- Publicidade -
0.4 C
Albergaria-a-Velha
InícioOpiniãoAlertas Google: O serviço gratuito que coloca a Google a trabalhar para...

Alertas Google: O serviço gratuito que coloca a Google a trabalhar para nós…SIM!

- Publicidade -

“Os Alertas do Google são um serviço quase desconhecido, sempre que falo nele, raramente encontro quem saiba do que estou a falar.”

A missão da Google é orga­nizar as informações do mun­do e torná-las mundialmente acessíveis e úteis. Ao falarmos das informações do mundo per­cebemos logo que a quantidade de informação será imensa, por isso, encontrar algo do nosso in­teresse nessa imensidão poderá ser como “encontrar uma agu­lha num palheiro”.
Por isso a Google teve de organizar sua informação de forma astuta e após o armaze­namento de informação, come­çou a refletir na melhor forma de fazer chegar essa mesma in­formação aos utilizadores. As­sim, surgiu o Google Alert ou Alertas do Google.
Os Alertas do Google são um serviço quase desconhecido, sempre que falo nele, raramente encontro quem saiba do que es­tou a falar. É um serviço gratui­to que coloca a Google a traba­lhar para mim…SIM! Apenas com dois ou três passos, recebo no meu e-mail toda a informa­ção sobre determinado assunto que seja do meu interesse acom­panhar, como se eu fosse efetuar diariamente a pesquisa sobre o tema devolvendo os resultados no meu e-mail.
Os Alertas do Google identi­ficam os novos conteúdos inde­xados pelo Google — como pá­ginas da web, notícias, artigos, posts de blog etc. — notifican­do-me dessa nova existência. Por exemplo, não quero perder nenhum conteúdo sobre o Jor­nal de Albergaria, já seja um co­mentário de alguém num Blog muito remoto (que nem sei que existe), já seja uma publicação do próprio jornal… a partir do momento em que faço a confi­guração desta pesquisa passarei a receber tudo o que for gerado na web e que contenha os ter­mos “Jornal+Albergaria”.
Como criar um alerta do Google?

  1. Para criar um alerta, faço login em minha conta Goo­gle e vou até a página: https://www.google.com/alerts.
  2. Nessa página coloco junto da lupa no buscador a(s) palavra(s) do tema a seguir e faço a pesquisa.
  3. Depois é definir por­menores como a frequência com que desejo receber os alertas, a hora do dia para os receber, o idioma dos artigos, a origem dos mesmos (podendo limitar apenas a Portugal), etc.

Obviamente os interesses vão mudando ao longo do tempo, e sempre que acedermos a essa página, podemos ir acrescen­tando e removendo pesquisas ou simplesmente afinando as pesquisas já configuradas.
Até aqui percebemos o que é e o que faz o Google Alert, certo? mas será que conseguiu imagi­nar o quanto isto poderá ser útil para si? Vou dar-lhe algumas sugestões:
Imagine configurar o Google Alert com o nome da sua empre­sa. Irá conseguir acompanhar o que as pessoas comentam do seu negócio, e responder a even­tuais críticas ou elogios. Ainda, poderá verificar se as publica­ções que são feitas sobre si tem ligações diretas a sua página ou endereço de e-mail, e caso não tenha, contactar o produtor do conteúdo a requerer que colo­que o acesso, ganhando indire­tamente com isso. E nem sequer precisa revelar que é o proprie­tário da empresa, faça-o como potencial cliente que gostaria de entrar em contato e não sabe co­mo…o produtor facultará todos os dados de forma pública.
E se, pelo contrário, configurar precisamente os nomes da sua concorrência? Desta mesma for­ma, poderá também configurar e acompanhar as novidades dos seus concorrentes mais diretos, percebendo o que é mais valori­zado pelos clientes. Assim como as críticas que eles recebem e procurando não refletir os mes­mos erros no seu negócio.
Com os Alertas Google, pode­-se configurar temas a consultar também fora de Portugal e assim detetar tendências e ideias que poderão ser uma mais-valia para si e para o seu negócio por cá.
Existem aplicações que fazem exatamente a mesma função, mas para além de não serem gratuitas, podem nem sempre refletir fiel­mente a totalidade dos resultados do universo Google. Como se diz em linguagem popular: “porque falar com o santo quando posso ir diretamente a Deus?”.

- Publicidade -
- EDIÇÃO IMPRESSA -

CONECTE-SE

20,928GostosGostar
2,932SeguidoresSeguir

EM DESTAQUE

- Publicidade -

PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

- Publicidade -
error: Conteúdo protegido!