Chega com nova concelhia em Albergaria

0
235

Após pausa na atividade por a lista com elementos da concelhia não ter sido escolhida para a distrital, o partido Chega elegeu novos órgãos no início de fevereiro, numa cerimónia presidida pela Comissão Política de Aveiro, com a presença da deputada Maria José Aguiar.

A tomada de posse da Comissão Política Concelhia (CPC) de Albergaria-a-Velha do Partido Chega decorreu a 1 de fevereiro, na cidade, com o “objetivo de agregar os militantes para iniciar uma política de aproximação, iniciando um trabalho forte e credível de representação autárquica, garantindo que a população local tem uma palavra a dizer na câmara municipal sobre as políticas públicas”, como escrevem, em comunicado enviado ao Jornal de Albergaria (JA), apenas no início de abril.

O novo presidente eleito, Ricardo Camões Coutinho, tesoureiro da anterior e primeira concelhia do partido Chega de Albergaria, explica, ao JA, que a CPC foi anunciada ao público e comunicação social dois meses após a tomada de posse por “fazer mais sentido para o partido”, por o “grupo estar agora mais organizado para desempenhar funções”. O recém-eleito acrescenta que foram feitas, pelo concelho, ações de campanha durante as eleições Legislativas.

Ricardo Camões Coutinho, questionado pelo JA sobre a quebra de atividade na Concelhia do Chega, detalha que optaram por a “fazer cair” após a lista à distrital, que integrava membros da CPC de Albergaria, ter saído derrotada e, assim, “dar o critério à distrital para escolher as pessoas para assumir o próximo triénio”.

O presidente informa igualmente que a nova concelhia está “alinhada com o partido a nível distrital e a nível nacional, com André Ventura”. Em relação à CPC fundadora, Ricardo Camões Coutinho sente-se igualmente alinhado, fora as “normais” discordâncias “como em todos os partidos” e lembra que a atual equipa integra “dois elementos que pertenciam à concelhia anterior”.

Reverter “estagnação prolongada”

“Albergaria precisava de uma concelhia do Chega e o partido quer concelhias em todos os municípios do país”, defende Ricardo Camões Coutinho. Neste momento, no website oficial do Chega, no distrito de Aveiro está apenas registada a concelhia de Oliveira de Azeméis.

A cerimónia de tomada de posse foi presidida pela Comissão Política distrital de Aveiro e contou com a presença da deputada Maria José Aguiar, segundo informam em comunicado. “Durante este regime socialista consideramos que a nossa terra tem sido vítima de estagnação prolongada, cenário que queremos reverter. Logramos pelo regresso dos nossos conterrâneos e pela permanência dos nossos portugueses que ainda aqui habitam”, sintetizam, no mesmo documento, a missão deste novo ciclo político concelhio.

A tomada de posse decorreu meses antes da polémica que envolveu o presidente da Comissão Política Distrital, Pedro Miguel Pimenta Alves, eleito a 11 de dezembro de 2023, condenado por violência doméstica em 2020, a um ano e seis meses de pena suspensa, 600€ de indemnização e à frequência de um programa especial. Confrontado pela SIC, Pedro Alves recusou-se a comentar “a vida privada”, não confirmando nem desmentindo a condenação, e afirmou estar “focado no trabalho”.

Na 6.ª Convenção Nacional do Chega, em janeiro, o partido aprovou uma medida que recomendava à direção nacional a proibição de “indivíduos condenados por crimes de violência doméstica” a candidaturas de qualquer cargo partidário ou a integrar uma lista do partido a eleições.

A composição do Órgão Concelhio de Albergaria do Chega apresenta-se:

Presidente – Ricardo Camões Coutinho

Vice-Presidente – Mário Paulo da Mota Ferreira

Secretário – André Camões Coutinho

Adjunto – Carlos Fernando Lopes Oliveira Mesquita

Adjunto – Paulo Miguel da Conceição Neves

Adjunto – Hugo Daniel da Silva Santos

Adjunto – Tiago André Marques Pinheiro