• Jornal de Albergaria - Banner Avelab


Verdade? Sim, a minha verdade!

  • Categorias Opinião
  • 16 de Julho, 2020
  • 23 Visualizações
Verdade? Sim, a minha verdade!
Auxiliar de Ação EducativaLuísa Barrento

Os resultados das nossas acções não serão imediatos, mas o empenho e a força de vontade nas nossas atitudes serão a nossa sentença! Coragem e foco para todos….Um dia de cada vez!

Este mês, seria provavelmen­te, um tempo de maior proveito de diversão ou descanso, mes­mo que fosse a ficar em casa , trabalhar ou a viajar. O estar­mos a entrar no segundo se­mestre do ano, parece lembrar­-nos que é hora de fazer um balanço. Mas parece que este ano, com a actual situação do COVID-19, não parece ser im­portante. Não obstante a isso, parece estar inerente uma refe­xão sobre o que já se fez e o que estará por se concretizar. Cons­cientemente deveremos nos concentrar no que verdadei­ramente será importante para vivermos (ou continuarmos a viver) bem, o que há nossa vol­ta poderá ser melhorado com a nossa contribuição. O futuro é hoje, depois desta calamida­de, nunca mais será “amanhã”. Não tenhamos pressa, mas não nos demoremos muito no que não podemos resolver na hora ou no que nos faz mal: não soframos por antecipação…. Os resultados das nossas acções não serão imediatos, mas o em­penho e a força de vontade nas nossas atitudes serão a nossa sentença! Coragem e foco para todos….Um dia de cada vez!

Após o desconfinamento, houve alguns que pensaram que a calamidade já tinha pas­sado, ou seja, que o pior já tinha sido ultrapassado. Creio nisto quando vejo os ajuntamentos, mesmo que sejam com menos do que 10 pessoas, insistem em não usar máscara, sem o afastamento mínimo recomen­dado: o vírus não se vê, não se sente, mas deixará dor e maze­las no que apresentará sinto­mas, no que ficar contaminado e nos mais próximos. Há vários ditados/axiomas populares que nunca estiveram tão actuais: ” Quem anda à chuva, molha­-se” ou ” .. Não deixar a lenha chegar à fogueira” .. ” Onde há fumo, há fogo!”, a prevenção nunca foi tão descurada como agora. Espante–se quem de­pois fica surpreendido por o número de infectados estar a aumentar e saber que Portugal, que até então era visto como um caso exemplar do confi­namento, agora estar na lista vermelha como um país seguro para viajar. O que estará cada um de nós a fazer para que o vírus não se propague? Faça a sua parte, pense sempre global e haja como há um mês atrás: que o medo seja sua cabeça na prevenção!

Relacionadas

error: Conteúdo protegido!