1ª pedra USF Beira Vouga lançada com largos elogios a profissionais de saúde

0
1183

“Esta zona de Albergaria é muito feliz por ser servida por tão bons profissionais de saúde”, foram as palavras de Manuel Pizarro, ministro da Saúde, no lançamento da primeira pedra da Unidade de Saúde do Beira Vouga, em Angeja. O investimento de quase 900 mil euros vai permitir que a USF deixe de funcionar nos contentores provisórios onde atualmente opera.

Manuel Pizarro, ministro da Saúde, juntou-se ao executivo municipal de Albergaria e representantes de múltiplas entidades locais e regionais para lançar a primeira pedra da Unidade de Saúde Familiar (USF) do Beira Vouga, na tarde do dia 26 de setembro.

O investimento total de quase 900 mil euros vai permitir que a USF de Angeja deixe de operar nos contentores onde funciona desde dezembro de 2019, uma obra que se conta pronta em 300 dias. A USF do Beira Vouga serve a zona sul do concelho – freguesias de Angeja, Alquerubim e São João de Loure e Frossos – bem como todos os que se possam inscrever na Unidade, que conta manter ou expandir os serviços que atualmente oferece. A Unidade tem, de momento, 8236 utentes inscritos, considerando este polo de Angeja e o de Alquerubim.

“É com espírito de confiança que pedimos o número de colaboradores, médicos, enfermeiros e auxiliares necessários para o bom funcionamento desta Unidade, bem como apoio para abrir a Unidade de Ribeira de Fráguas”, apelava António Loureiro, presidente da Câmara Municipal, no discurso da cerimónia, dirigindo-se ao ministro da Saúde.

A primeira “pedra” foi antes uma oliveira plantada em frente às atuais instalações da USF, benzida pelo padre Querubim e abraçada com terra coletivamente colocada pelos vários intervenientes na obra, entre os quais Manuel Pizarro; Catarina Rosa Mendes, vereadora da Saúde; António Loureiro, presidente da Câmara Municipal; Mário Branco, presidente da Assembleia Municipal; Hélder Brandão, presidente da Junta de Freguesia de Angeja; António Duarte, presidente da Junta de Freguesia de Alquerubim; Eduardo Ferreira, arquiteto municipal, entre muitos outros que colaboraram para erguer a futura USF.

O ministro da Saúde louvou o trabalho feito pela equipa médica da Unidade, coordenada por German Yasko, também presente na inauguração simbólica. “Esta zona de Albergaria é muito feliz por ser servida por tão bons profissionais de saúde. Esta equipa organizou-se em condições muito adversas e isso demonstra que, na Saúde, o que conta são as pessoas”, elogia, reforçando que os bons serviços são feitos de “boa organização e uma combinação entre proximidade e qualidade”.

Albergaria “acredita na descentralização”

O presidente da Câmara Municipal lembra o desafio que foi erguer a USF após o fecho em massa de unidades por todo o país, em 2013, por falta de condições na construção das mesmas e défice de profissionais de saúde, tendo sido este um processo de “permanente diálogo entre o município e o Ministério da Saúde”.

Agora, após provas dadas em momentos como a pandemia, o edil garante que o concelho está pronto para avançar. “Vamos levar o tema da transferência de competências na área da Saúde à Câmara Municipal e Assembleia Municipal. Pode confiar. O Município de Albergaria acredita na descentralização”, frisa António Loureiro.

O presidente da Câmara agradece “às três Rosas que, mesmo entre espinhos, nunca desistiram” – Dra. Rosa Maria dos Reis Marques, do conselho diretivo da Administração Regional de Saúde do Centro; Rosa Valente de Matos, secretária de Estado da Saúde e a vereadora da Saúde do município de Albergaria.

Manuel Pizarro e António Loureiro reforçaram a importância e centralidade da Saúde na vida de cada um e como pilar da democracia portuguesa, despedindo-se com a mesma ideia – “Viva o Serviço Nacional de Saúde”, “que é de todos”, acrescentava o presidente da Câmara.