Homem que confessou incêndio em Vilarinho de S. Roque ficou em silêncio em tribunal

0
974
Fotografia: DR

No ano passado, a 29 de março, no lugar de Vilarinho de São Roque, na freguesia de Ribeira de Fráguas, deflagrou um incêndio florestal de grandes dimensões que chegou a colocar casas e habitantes em risco e causou elevados prejuízos aos proprietários locais. Dois dias depois houve um reacendimento e no total, o fogo consumiu mais de um hectare e meio de povoamento florestal misto.

Os populares denunciaram um morador local às autoridades como presumível autor do crime e quando foi detido, em casa, o homem de 46 anos assumiu a autoria do incêndio.

O julgamento teve início esta quarta-feira no Tribunal de Aveiro. No arranque da sessão, segundo adianta o Notícias de Aveiro, um mestre florestal da GNR, que apoiou a investigação, afirmou que o arguido “não nos deu motivação para o que fez, respondeu apenas que tinha que fazer aquilo“.

O homem remeteu-se ao silêncio sobre o fogo florestal. Por padecer de uma doença do foro mental existe a possibilidade de lhe ser decretada imputabilidade diminuída, o que poderá influenciar a pena. O arguido tem ainda agravantes anteriores por fogo posto e uma condenação por tentativa de violação.