- Publicidade -
17.1 C
Albergaria-a-Velha
InícioRegiõesAlbergaria-a-velha e ValmaiorEleições Presidenciais: Marcelo Rebelo de Sousa foi preferido no concelho

Eleições Presidenciais: Marcelo Rebelo de Sousa foi preferido no concelho

- Publicidade -

A tendência foi clara. Em todas as freguesias do município de Albergaria-a-Velha, Marcelo Rebelo de Sousa foi a primeira escolha para presidente da República.
O atual e agora presidente reeleito bateu por grande margem os restantes candidatos. Na freguesia de Albergaria-a-Velha e Valmaior foi onde registou pior resultado com 65,98 por cento, o que se traduz em 2.484 votos. Nas restantes freguesias foi a escolha de mais de 70 por cento dos eleitores mas, regra geral, registou menos votos. Em números globais, no município, Marcelo Rebelo de Sousa conseguiu 68,93 por cento com 6.287 boletins. O que significa que aumentou cinco pontos percentuais em relação às últimas eleições presidenciais mas com menos 529 votos.
A nível do concelho, André Ventura fixou-se no segundo lugar com quase 11 por cento (1.001 votos) da preferência do eleitorado. Ana Gomes ficou-se pelos 830 votos (9,10%) enquanto Marisa Matias registou menos 580 votos em comparação a 2016. Vitorino Silva também registou uma ligeira diminuição nas preferências tendo passado de 3,39 por cento em 2016 para 3,26 por cento este ano. Os estreantes Tiago Mayan Gonçalves (2,35%)  e João Ferreira (1,96%) foram os últimos nas preferências.
Em termos de abstenção, o município registou uma taxa de 58,5 por cento, um aumento em relação às últimas eleições. Este ano, dos 22.564 inscritos apenas foram votar 9.365 eleitores.
A nível do distrito de Aveiro, Marcelo Rebelo de Sousa ficou em primeiro lugar com 65,66 por cento dos votos. Ana Gomes foi a segunda preferência com 11,82 por cento seguida de André Ventura com 9,62 por cento dos votos.
Vamos agora analisar os resultados do concelho de Albergaria-a-Velha, freguesia a freguesia.
Alquerubim

Jornal de Albergaria - Alquerubim
Alquerubim

Em Alquerubim, Marcelo Rebelo de Sousa conseguiu 580 votos o que significa que foi a escolha de 71,38 por cento dos eleitores. O candidato reforçou assim a sua preferência na freguesia onde em 2016 foi a escolha de 66,20 por cento. André Ventura e Ana Gomes conseguiram ambos 73 boletins de voto (8,98%). Já Vitorino Silva ficou em quarto lugar com 33 votos (4,06%), seguido de Marisa Matias com 29 votos (3,57%), Tiago Mayan Gonçalves com 16 votos (1,97%) e João Ferreira que contabilizou nove votos (1,11%).
Registaram-se ainda seis votos em branco e oito nulos. No total, significa que foram as urnas 827 votantes num total de 2.047 inscritos ou seja, uma adesão às urnas de 40,40 por cento. O que reflete um aumento da abstenção já que nas eleições de 2016, a taxa de votantes foi de 45,40 por cento.
Albergaria-a-Velha e Valmaior
Jornal de Albergaria - Albergaria A Velha E Valmaior
Albergaria A Velha E Valmaior

Na freguesia de Albergaria-a-Velha e Valmaior, apesar de ter sido a localidade do concelho com pior resultado para Marcelo Rebelo de Sousa, houve um aumento no número de votantes. Em 2016 conseguiu 62,25 por cento dos votos enquanto este ano conseguiu 2.484 boletins (65,98%). André Ventura ficou em segundo lugar com 443 votos (11,77%), seguido de Ana Gomes com 374 votos (9,93%), Marisa Matias com 139 votos (3,69%), Vitorino Silva com 124 votos (3,29%), Tiago Mayan Gonçalves com 107 votos (2,84%) e João Ferreira com 94 votos (2,50%).
Houve ainda 69 votos em branco e 48 nulos. A abstenção também subiu comparativamente a 2016. Este ano 40,17 por cento dos eleitores foram votar enquanto nas últimas eleições se registou uma afluência de 45,44%.
Angeja
Jornal de Albergaria - Angeja
Angeja

Em Angeja, dos 1.820 inscritos, 793 eleitores exerceram o seu direito de voto o que significa que a abstenção também aumentou relativamente às últimas eleições em que a taxa de adesão foi de 50,47 por cento. Este ano ficou-se pelos 43,57 por cento.
Nos resultados gerais, Marcelo Rebelo de Sousa seguiu a tendência verificada nas freguesias e reforçou a sua preferência. Enquanto em 2016 teve o voto de 56 por cento dos eleitores, este ano, chegou aos 73,02 por cento.
André Ventura ficou em segundo lugar com 76 votos (9,86%) à frente de Ana Gomes que conseguiu 66 votos (8,56%). Marisa Matias perdeu votos relativamente à 2016, onde foi a preferência de quase 10 por cento do eleitorado. Este ano conseguiu apenas 2,46 por cento dos votos. Vitorino Silva também desceu nas preferências com 18 votos (2,33%) em vez dos 25 boletins (2,64%) registados em 2016. João Ferreira ficou em penúltimo lugar, com 17 votos (2,20%) e Tiago Mayan Gonçalves conseguiu 12 votos (1,56%).
Este ano Angeja teve menos votos em branco em relação a 2016. De 14 passou-se para nove no entanto, nos votos nulos, a tendência inverteu-se, de oito (2016) subiram para 13 (1,64%).
Branca
Jornal de Albergaria - Branca
Branca

Na Branca também não houve surpresas com a freguesia a seguir a tendência geral do município. Marcelo conquistou mais dois pontos percentuais em relação aos resultados de 2016 mas este ano teve menos 240 votos.
André Ventura foi o segundo preferido seguido de Ana Gomes com 162 votos (8,05%). Vitorino Silva sofreu um ligeiro decréscimo nos resultados com a perda de 21 votos. O mesmo se verificou com Marisa Matias que dos 7,34 por cento conquistados em 2016 desceu para 2,88 por cento. Tiago Mayan Gonçalves teve 55 votos (2,73%) enquanto João Ferreira obteve 37 boletins (1,84%).
Mais uma vez a taxa de votantes desceu, em comparação às últimas eleições presidenciais. Este ano, dos 4.982 inscritos apenas 2.048 foram às urnas, o que representa uma taxa de 41,11 por cento de votantes ao contrário dos 49,30 por cento de 2016. Por outro lado, houve menos 13 votos em branco e menos nove votos nulos.
Ribeira de Fráguas
Jornal de Albergaria - Ribeira De Fráguas
Ribeira De Fráguas

Em Ribeira de Fráguas, novo reforço no eleitorado para Marcelo Rebelo de Sousa, que dos 65,59 por cento de 2016 subiu para 70,44 por cento, apesar de ter tido menos 97 votos.
Ana Gomes conseguiu contrariar a tendência do concelho e conquistar o segundo lugar por mais dois votos que André Ventura. Vitorino Silva, à semelhança das restantes freguesias, também perdeu eleitores. Em 2016, 36 eleitores consideraram-no a escolha correta mas este ano apenas 25 mantiveram a opinião. Marisa Matias sofreu uma queda maior nos resultados, com a passagem de 8,35 por cento em 2016 para 2,79 por cento. Tiago Mayan Gonçalves conseguiu 12 votos (1,97%) enquanto João Ferreira não ultrapassou os dois dígitos, com oito votos.
Menos votantes foram exercer o seu direito de voto. Dos 1.456 inscritos, 627 foram votar, o que representa uma taxa de 43,06 por cento de votantes. Em 2016 tinha sido de 52,31 por cento. Também os votos em branco e os votos nulos sofreram um ligeira redução.
São João de Loure e Frossos
Jornal de Albergaria - São João De Loure E Frossos
São João De Loure E Frossos

Em São João de Loure e Frossos, Marcelo Rebelo de Sousa subiu quase dez pontos percentuais mas menos votos. Em 2016 conseguiu 842 boletins (63,79%) contudo, este ano registaram-se 799 votos a seu favor.
André Ventura ficou na segunda posição com 128 votos (11,39%), seguido de Ana Gomes em terceiro com 89 votos (7,92%). Marisa Matias também aqui perdeu a preferência do eleitorado com menos 59 votos, em comparação a 2016. O mesmo aconteceu a Vitorino Silva, que viu uma redução em metade dos votos. João Ferreira conseguiu contrariar a tendência no município e ficou à frente de Tiago Mayan Gonçalves por dois votos.
Sem surpresas, a abstenção também subiu nesta freguesia. Se em 2016, 52,64 por cento dos eleitores foi votar, este ano a taxa não chegou aos 46 por cento. Em números significa que dos 2.529 inscritos apenas 1.161 foram votar. Quanto aos votos em branco houve uma ligeira redução de 24 para 19 votos enquanto nos votos nulos se registou um aumento de oito votos.

- Publicidade -
Adriana Ribeiro
Jornalista do Jornal de Albergaria - Licenciada em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo pela Universidade da Beira Interior. Leitora assídua e apaixonada pela escrita desde pequena. O gosto pelo jornalismo foi por isso inevitável. O jornalismo regional tem sido o grande foco de trabalho, tendo já passado por várias redações de vários pontos do país.
- EDIÇÃO IMPRESSA -

CONECTE-SE

20,296GostosGostar
2,516SeguidoresSeguir

EM DESTAQUE

- Publicidade -

PUBLICAÇÕES RELACIONADAS

- Publicidade -

A sua opinião conta. Comente.

Por favor escreva o seu comentário
Por favor introduza o seu nome

error: Conteúdo protegido!