Candidatos do CDS-PP e Juventude Popular discutiram futuro do país

0
551
Sessão contou com a presença dos três primeiros candidatos do CDS-PP pelo círculo eleitoral de Aveiro

Os candidatos do CDS-PP pelo círculo eleitoral de Aveiro reuniram-se esta tarde com a Juventude Popular para um debate de ideias focado sobretudo na educação. Nesta tertúlia, os candidatos procuraram ouvir dos mais jovens. Martim Borges de Freitas, número um da lista, em declarações ao Jornal de Albergaria, lembrou o papel importante que a Juventude tem tido ao longo dos anos “na condução do próprio partido” e reconheceu que tem tido “o privilégio de ter a Juventude Popular a trabalhar nesta campanha“.

Com as eleições agendadas para 30 de janeiro, Martim Borges de Freitas admite que as expectativas do partido “são sempre positivas” e deixa a esperança de voltar a ter dois deputados eleitos pelo círculo eleitoral de Aveiro. “Se os eleitores que já votaram no CDS-PP voltarem a votar, garantem-se esses dois eleitos“, realçou.

Das suas visitas e conversas com a população do distrito, o candidato aponta a saúde como a principal preocupação transversal a todo o território. “O fecho do atendimento permanente às pessoas faz com que, até pelas mais pequenas maleitas, as pessoas tenham de ir ao hospital o que provoca um congestionamento desse serviço, agravado pela falta de recursos humanos“, apontou. As dificuldades financeiras que as IPSS atravessam foi outra das preocupações mencionadas e que considera ser “urgente, independentemente do Governo que saia nas próximas eleições, dar resposta“. Caso contrário alerta para a possibilidade dos “serviços que hoje são prestados com qualidade pelas IPSS, apesar das dificuldades, passam a ser cada vez piores“.

Para fazer face a alguns destes problemas, Martim Borges de Freitas aponta duas soluções. A Via Verde Saúde, que dará a possibilidade aos utentes de realizar consultas, exames ou cirurgias prescritos em unidades de saúde privadas, caso o Serviço Nacional de Saúde não seja capaz de dar resposta em tempo útil, e o Vale Farmácia, destinado sobretudo à população idosa em situação de pobreza que lhes irá garantir o acesso a medicamentos.

O candidato apelou ainda para a ida às urnas e ao “voto útil“, que considera ser no CDS-PP. “Como demonstrou António Costa, em 2015, não é preciso ter-se mais votos para ser primeiro-ministro. Rui Rio pode ser na mesma primeiro-ministro sem o PSD ser o partido mais votado, mas para isso é muito importante ter um CDS forte. E se o CDS e o PSD tiverem maioria na Assembleia da República, é a garantia de que há um Governo à direita, um Governo de mudança e estável e é isso que pretendemos nestas eleições“, esclareceu.

Também José António Souto, número dois da lista, deixou o apelo para se combater a abstenção. “Estamos a passar por um período difícil com a pandemia e sabemos que existem alguns constrangimentos, mas esperamos que as pessoas não fiquem em casa e votem“. “É muito importante as pessoas irem votar, não só para a condução do país, mas para poderem participar na escolha“, rematou Martim Borges de Freitas.