Albergaria aprova orçamento de 24 milhões para 2022

0
1123

A Assembleia Municipal aprovou por maioria, no passado dia 17, o orçamento para o próximo ano bem como o documento das Grandes Opções do Plano. No total geral, o orçamento conta com o montante geral de 24.322,290 euros.

Este é o documento que vai orientar os próximos 365 dias”, começou por dizer António Loureiro, presidente da Câmara Municipal. De acordo com a sua explicação, trata-se de um plano baseado em cinco eixos, divididos em 12 linhas de orientação. Os cinco grandes eixos prioritários de atuação seguem uma lógica de plurianualidade, com continuidade até 2025 e incluem as áreas do desenvolvimento económico, emprego, atratividade do concelho; a ação social, educação, saúde e habitação; o turismo, cultura, desporto e planeamento e urbanismo; ambiente, mobilidade e sustentabilidade e a governação e Proteção Civil.

Dentro destas áreas, há 12 linhas de orientação onde se destacam o início das obras da Zona Industrial com a criação de 25 lotes para novas empresas, a requalificação do parque escolar, a construção da nova extensão de saúde USF Beira Vouga e a requalificação do Centro de Saúde de Albergaria. A aposta na área habitacional, a requalificação urbana e criação novas áreas também vão ser apostas do executivo assim como o parque da cidade para o qual vão continuar a ser adquiridos terrenos. O Centro de Recolha Oficial (CRO) vai iniciar a sua terceira fase assim como a requalificação da estação ferroviária, que conta com o contrato assinado entre o município e as Infraestruturas de Portugal. O Centro Municipal de Proteção Civil Engenheiro Fausto Vidal também irá continuar assim como o projeto de criação de um museu de Albergaria. O documento inclui ainda o alargamento do plano de mobilidade, a inauguração de Centro Interpretativo da Pateira de Frossos no primeiro trimestre de 2022 e o apoio às Juntas de Freguesia.

O documento foi aprovado por maioria. Após a votação, os partidos da oposição esclareceram a sua posição. Da parte do PS, Firmino Ruas explicou a falta de apoio a estes documentos pela incerteza que considerava existir sobre o futuro do concelho caso António Loureiro fosse eleito deputado da Assembleia da República pelo CDS-PP nas eleições legislativas de 30 de janeiro. Já a bancada do PSD absteve-se na votação por não se rever em algumas das opções tomadas.

José António Vinhas e Bernardo Lima homenageados

Os partidos com assento na Assembleia Municipal aprovaram por unanimidade o voto de pesar a José António Marques Moreira Vinhas e o voto de louvor ao angejense Bernardo Lima por mérito profissional.

PSD recusou participar no grupo de trabalho para revisão do regimento da Assembleia

Em jeito de protesto por ter sido excluído na indicação à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ), o PSD decidiu não indicar nenhum elemento para o grupo de trabalho de revisão do regimento da Assembleia Municipal. Apesar da insistência do presidente da mesa da Assembleia, Mário Branco, os deputados social-democratas mantiveram a sua posição. No entanto, apelaram a que o grupo, entretanto constituído, tivesse em conta algumas medidas defendidas pelo PSD nomeadamente a transmissão online das sessões da Assembleia.