• Jornal de Albergaria - Ebd87793 0653 40b8 Be72 D229bc5a9185
  • Jornal de Albergaria - AgroVouga
  • Jornal de Albergaria - Banner Avelab


BE denuncia “incumprimentos graves da lei laboral” em empresa de Albergaria-a-Velha

  • Categorias Atualidade
  • 12 de Agosto, 2020
  • 1811 Visualizações
BE denuncia “incumprimentos graves da lei laboral” em empresa de Albergaria-a-Velha

O Bloco de Esquerda deu a conhecer, no final da passada semana, em comunicado, o alegado despedimento de uma trabalhadora sem contrato após um acidente na empresa Momento Numérico, sediada na freguesia da Branca.

O partido refere, segundo denúncias recebidas, que a administração da empresa especializada na construção de mobiliário infantil terá mantido a trabalhar “pelo menos uma funcionária sem contrato e sem qualquer tipo de proteção, com graves consequências para esta profissional”.

Nas informações fornecidas, no documento publicado na plataforma do partido, o caso diz respeito a uma funcionária que terá iniciado funções no final do mês de junho “sem contrato e sem direitos”. No final do mês de julho, a profissional terá tido um acidente de trabalho que resultou num ferimento na cabeça. Segundo o Bloco de Esquerda, “as chefias recusaram inicialmente a devida assistência médica, forjaram posteriormente contrato de trabalho com data anterior ao acidente, para depois simplesmente despedir esta funcionária”. Mais acrescenta que na sequência da alegada ausência de assistência médica imediata, a profissional contactou a linha de Saúde 24, tendo sido acionada uma ambulância para o local de trabalho e a funcionária terá ficado com incapacidade temporária para trabalhar.

O partido avança que face ao desenrolar da situação, “a administração da empresa tentou simular que tudo estava legal. Assim, apesar de estar de baixa médica e em recuperação, no dia seguinte (a 29 de julho), solicitou a presença da trabalhadora com urgência nas instalações da empresa, onde lhe foi dado a assinar um contrato a termo certo de seis meses, supostamente com início a dois de julho”. No entanto, segundo é indicado no comunicado, a 31 de julho “a trabalhadora recebe a carta de despedimento alegando a entidade patronal dispensa no período experimental. A trabalhadora recebeu também contacto telefónico a informar que a empresa não iria acionar o seguro de acidentes de trabalho”.

Na opinião do Bloco de Esquerda, “os relatos configuram incumprimentos graves da lei laboral” e admite já ter denunciado a situação junto da Autoridade para as Condições do Trabalho.

O Jornal de Albergaria tentou estabelecer contacto com a empresa Momento Numérico, para obter mais esclarecimentos, mas até ao momento não obteve resposta.

Relacionadas

error: Conteúdo protegido!